Uma Família Quase Perfeita

Uma Família Quase Perfeita, até onde ir por quem amamos

Olá, é a primeira vez que apareço por aqui, obrigada Erika pelo convite, foi uma ótima experiência, sem dúvidas. Vamos conversar sobre Uma família quase perfeita, de M. T. Edvardsson, publicado pela Editora Suma.

Uma Família Quase Perfeita é um drama familiar bem do jeito que eu gosto, que te deixa ávido por mais a cada virada de página, já que temos um mistério, uma família que em um primeiro olhar parece normal, mas assim como na vida real, possui diversas camadas que vão sendo expostas pouco a pouco e com elas, vamos descobrindo que nada é o que parece ser!

“Nosso fracasso e omissão para com Stella foram imperdoáveis.”

Adam, é um respeitado pastor local, pai de Stella, uma jovem que acabou de completar dezoito anos e esposo de Ulrika, advogada de defesa experiente. Eles foram comemorar os dezoito anos de Stella, mas o que não sabiam, é que no dia seguinte suas vidas iriam virar de ponta cabeça.

Stella é detida e presa em uma investigação de assassinato, e com isso vamos descobrindo mais a respeito de cada membro dessa família, que parecia apenas mais uma em meio a tantas.

Sobre a escrita de M. T. Edvardsson

A escrita de M.T. Edvarsson é viciante. O livro é dividido em três partes, intercalando o ponto de vista desses três personagens e suas lembranças do passado e momentos do presente.

Isso faz com que possamos pouco a pouco, perceber o quanto já haviam “rachaduras na fachada” e muitos segredos guardados, bem como mágoas e que em algum momento eles se perderam uns dos outros na rotina de seus dias, fecharam os olhos, quando deveriam estar com eles bem abertos a todos os sinais ao redor!

“Com uma filha de dezoito anos, você tem duas opções: ou você vive morto de preocupação ou se recusa a pensar em todos os riscos que ela parece adorar correr. É simplesmente uma questão de autopreservação.”

Afinal, as vezes estamos tão envolvidos em nossa própria rotina, que não nos damos conta do que está bem ali diante dos nossos olhos.

Gostei de conhecer principalmente Adam, que por ser um pastor local e ter sua crença enraizada na sua fé, vamos vendo como é sua relação com a comunidade, onde é respeitado em sua posição, assim como seu desespero em provar a inocência de sua filha. Porém com isso também vamos percebendo como falhamos tentando acertar, e que a omissão, mesmo inocente pode ser um
caminho perigoso!

Uma Família Quase Perfeita

Stella e seus conflitos internos

Stella, vai nos mostrando a experiência de sua prisão e de todo esse processo que está enfrentando, além de podermos ver como é sua relação com seus pais através do seu ponto de vista, sua relação com Amina, sua melhor amiga, e o relacionamento com Chris, até então desconhecido pelos seus pais, e o homem que foi morto, ao qual Stella está sendo acusada de sua morte.

E por fim, vamos acompanhar o ponto de vista de Ulrika sobre o julgamento de sua filha em especial e o desenrolar desse caso e todos os segredos que nos serão revelados no decorrer da leitura. E até onde cada um está disposto a ir para proteger uns aos outros.

“…Ulrika disse uma vez que o amor é deixar o outro livre, deixar as pessoas que você ama voar, mas tenho a impressão de que Stella só está batendo asas, sem decolar. Eu imaginara uma coisa diferente.”

Eu sou bem experiente com esse tipo de enredo e posso dizer que fui surpreendida pelo autor, que consegue manter o mistério, me fazendo pender para um lado e depois para outro, sempre na dúvida do que realmente aconteceu com Chris. Isso é um ponto muito positivo em enredos do gênero e como gosto de tramas Suecas, seja nas telas ou nas páginas!

Minhas impressões

Por fim, posso afirmar que esse título é cheio de mistérios e muitas reviravoltas, trazendo o fator surpresa que deixa o leitor extasiado! Os personagens são bem delineados e do tipo que te deixa com raiva, asco, vontade de falar umas boas verdades, e isso não é ruim, pois os torna palpáveis, reais, falhos, humanos!

“Mentir é uma arte que poucas pessoas dominam completamente.”

Uma questão que Uma Família Quase Perfeita levanta, é que não conhecemos a fundo ninguém, nem mesmo as pessoas que moram conosco. Afinal, todos temos nossos segredos e aquelas coisas que guardamos em camadas mais internas. Adam quer acreditar a todo custo na filha que idealizou, Ulrika apesar de ser bem realista, ultrapassa limites perigosos e Stella, me irritou diversas vezes, achei ela ingrata, em outros momentos mimada e irritante.

E no fim veremos até onde vai o limite entre o certo e o errado, e até onde as pessoas estão dispostas a descer e quais são verdadeiramente seus valores e o que é mais importante, justiça? Lei? Proteção? Negação?

A pergunta que a história deixa é, até onde você iria para proteger quem ama? Para proteger sua família? E o que isso iria te custar, vale a pena?!?

Conheça também outros livros da Editora Suma!

Beijos e até a próxima!
Karini Couto
@alempaginas

Posts Similares

14 Comentários

  1. Olá, tudo bem?

    Desde que vi a premissa dessa obra pela primeira vez fiquei bem interessada, pois tem tudo que costumo curtir em uma história. Me anima ser um drama familiar, mas conter mistério e suspense, duas coisas que adoro. Seu post me deixou com mais vontade de conhecer!

    Beijos!

  2. Essa edição está linda. Não conhecia mas já fiquei com vontade de ler. Será que realmente vale fazer de tudo pra defender a nossa família… sinceramente, não sei responder.

  3. Oi Karini!
    Esse é um daqueles livros que não conseguimos largar pois a história prende e os segredos podem vir a tona, fiquei curiosa sobre os detalhes de tudo como aconteceu e o que eles são capazes de fazer pela família, já fiquei intrigada, quero saber mais kkk. Obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

  4. Oi Karini, tudo bem?
    Esse livro está nos meus desejados e ao ler sua opinião, percebo que o enredo é realmente intrigante. A questão de realmente se conhecer alguém, mesmo convivendo diariamente com a pessoa, é algo que desperta curiosidade. Até que ponto conhecemos as pessoas?
    Beijos

  5. Que legal parece esse enredo. Gosto de tramas que trazem essa carga emocional e drama e um certo mistério. Estou curiosa para saber quem matou Chris

  6. Fiquei muito curiosa para saber como esse caso irá se desenrolar, imagino o desespero de Adam para provar a inocência da filha, e é um fato essa questão de não conhecermos o outro completamente, por mais que a gente acredite que conhece tudo sobre o outro, na minha opinião, sempre tem coisas que guardamos em nosso íntimo; não falamos, não compartilhamos. Coisas as quais apenas Deus sabe.
    Parece ser um ótimo livro.

  7. Sempre que possível adiciono livros nesse estilo às minhas leituras, acho interessante essa pegada de drama familiar com crime e esse teor de certo e errado, quando se tem emoções envolvido. Suas considerações me deixaram curioso, vou tentar conferir a obra, acho que vi na livraria esses dias, mas a capa não tinha me chamado atenção

  8. Gostei de saber mais sobre esse enredo, ainda não conhecia, e deve ser um livro bem reflexivo no que se trata de questões de ética e família, leis, justiças e valores.
    Curioso.

  9. Tramas assim são sempre instigantes. E quando nos deparamos com enredos que trazem dramas familiares, sempre nos põe a refletir alguns aspectos do cotidiano. Gostei da fica de leitura.

  10. Achei esse enredo bem interessante, tenho tido oportunidade de ler livros do gênero e estou gostando muito. Mais um para minha lista e saber que é uma leitura que te surpreendeu já me deixou super animada. Tenho vontade de experimentar tramas suecas, no streaming tem feito meio sucesso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *