16 de outubro de 2021

Oi gente, tudo bem? Chegando muitas novidades literárias por aqui não vejo a hora de compartilhar tudo. Uma delas é o lançamento Os 10 (ou mais) mandamentos da solteira, da Krishna, publicado pela Rocco. O trabalho gráfico está lindíssimo.

Falar sobre relacionamentos ou estar solteira (como é o caso desse livro) é um tema que divide opiniões. Há quem prefira sempre estar com alguém e aqueles que são felizes sozinhos. A qual time você pertence?

Nesse manual divertido a autora, Krishna, vem mostrar o lado bom de estar solteira. Mas deixa claro desde o início que essa situação pode mudar se suas prioridades também mudarem ao longo do tempo. Ou seja, quer aproveitar um tempo sozinha, sair com as amigas, viajar, tirar do papel projetos que estavam na gaveta ou mesmo curtir a própria companhia? Ok!

Por outro lado, se estar num relacionamento te faz bem, e de alguma forma traz amadurecimento aos dois, siga em frente.

Namorar x ser solteira

Vou contar um pouquinho sobre minha experiência. Desde adolescente sempre estive “apaixonada”. Sério! Sabe aquelas paixonites que num mês gostamos do rapaz do cinema e no mês seguinte de alguém que vimos na fila do banco? Pois é, bem assim.

Apesar disso tive poucos namorados porque sempre valorizei minha liberdade. Ainda mais depois que fui morar sozinha, fazer faculdade… Era um universo completamente novo pra mim não queria resumir esse período num namoro. Me fazia bem ser solteira. Ter meus amigos. Me divertir com eles. Dar boas risadas.

No segundo ano comecei a namorar mas não deu muito certo e terminamos. Fiquei sem me envolver com alguém durante um bom tempo. Até que um colega de trabalho me apresentou seu amigo de infância. Não foi amor à primeira vista mas nos demos bem. Tínhamos muitas coisas em comum e deu certo por um tempo. Mas descobrimos que buscávamos coisas diferentes e terminamos.

Fiquei mais um tempo sozinha. Me mudei de cidade, de trabalho, viajei, conheci lugares novos, fotografei, tive contato com outras culturas e achei tudo incrível. Aí conheci meu atual namorado e estamos juntos desde então. É bem diferente dos meus relacionamentos anteriores. Primeiro porque ele é mais maduro que eu (algumas vezes sou bem infantil… risos).

Apesar de, tecnicamente, eu ter tido mais experiências do que ele (viajar, morar sozinha, mudar de cidade, etc.) é surreal o quanto tem os pés no chão, objetivos bem definidos, e visão de futuro. Todo dia aprendo algo novo. Até o momento posso dizer que foi o melhor namoro que tive. É uma troca diária e isso nos enriquece muito.

Como vocês viram tive três namorados então não sei se podemos considerar pouca ou muita experiência. Mas consigo ter uma visão clara dos benefícios e desafios das duas situações namorar e/ou ficar solteira.

Sobre as vantagens de ser solteira

O objetivo da autora neste livro é mostrar os benefícios de estar solteira. Friza a importância do amor-próprio, cuidar de si mesma, dar atenção aos amigos, e aproveitar o tempo para fazer aquilo que gosta.

Você vai ao cinema sozinha? Comer um lanche no McDonalds? Fazer compras? Viajar? Ir ao restaurante? Esse é outro tema importante que a autora aborda: não ter vergonha de sair sozinha. Tenho amigas, por exemplo, que morrem de vergonha de ir ao cinema sozinha. Ou mesmo dar uma voltinha no shopping.

Meus pais me criaram um tanto independente ou perceberam que era um traço genético vai saber… A questão é que nunca esperei por alguém para fazer algo. Queria ir num show e não tinha companhia. Ia mesmo assim. Estava exibindo um filme legal e ninguém queria ver? Ia sozinha. Isso nunca me impediu.

Logo quando me mudei para Santa Catarina e não conhecia muitas pessoas a dupla Victor & Leo iam fazer um show em Florianópolis. Eu podia não ter ido? Sim. Mas a vontade de conhecê-los era muito maior do que minha vergonha de ir sozinha. Então comprei as passagens e fui. E posso dizer que foi um dos mais divertidos da minha vida. Inesquecível!

É bom fazer tudo sozinha?

Também já fiz viagens mais longas para Curitiba, Paranaguá, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, e vários outros lugares sozinha. Só com minha mala e câmera na mão. Guardo na memória cada uma delas. Em relação a viagens tenho uma pequena observação. Quando viajo sozinha a sensação é de que aproveito bem mais porque posso ficar mais tempo nos lugares, fotografar o quanto quiser, além de fazer anotações quando a intenção é compartilhar por aqui. Amo meu namorado, mas ele é impaciente em alguns momentos (risos).

Krishna ainda mostra a importância de valorizar as amigas e não deixá-las de lado se estiver num relacionamento. Fala também sobre como encontrar possíveis pretendentes e não se envolver com certos tipos que só trarão “dor de cabeça” no futuro.

Apesar de o livro ser curtinho a autora conseguiu abordar diversos temas de maneira espontânea e divertida. Minha única ressalva é o fato dela falar mal dos homens quase o livro inteiro. Há homens que pisam na bola? Com certeza! Mas não podemos colocá-los todos num mesmo cesto, concorda? Ter experimentado uma comida sem sabor num restaurante não te faz desistir de todos os demais faz?

Essa foi a minha experiência lendo Os 10 (ou mais) mandamentos da solteira. Um livro curtinho mas cheio de reflexões e questionamentos. A Krishna está no instagram se quiser conhecê-la e saber mais sobre seus próximos livros 🙂

Informações sobre Os 10 (ou mais) mandamentos da solteira
Krishna

Título: Os 10 (ou mais) mandamentos da solteira
Autora: Krishna
Editora: Rocco
Ano: 2021
Páginas: 158
Classificação: ★★★
Disponível na Amazon

Leia também: A Cabala da Casa, Sandra Strauss

Até o próximo post, Érika ♡

Nos acompanhe nas redes sociais
Facebook ♡ Instagram ♡ Twitter ♡ PinterestTikTok

Post escrito por Erika Monteiro

Descobri desde cedo quão incrível é o universo dos filmes, séries, livros e todo esse mundinho geek. Criei esse espaço para compartilhar experiências e trocar ideias.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Tay Meneses

    13 de novembro de 2021

    Nunca li esse livro, nem ao menos sabia sobre essa autora. Mas pelo que você relatou não é um tipo de livro que me atrai. Livros do tipo trazem geralmente muito a visão de quem o escreveu, não que seja ruim, mas algumas vezes me cansa. Ainda mais quando traz pontos como o que você citou no final do post, o que pra enaltecer algo se despreza alguém, nesse caso: botar todos os homens como grandes vilões, sendo que ninguém é igual ou pode ser medido porque um similar fez merda e desiludiu alguém. Mesmo assim, valeu conhecer o livro, agora pelo menos sei de sua existência.

  2. Lady Trotsky

    11 de novembro de 2021

    Oi Érika, tudo bem?
    Primeiro, o nome da autora é bem único. Krishna é bem peculiar, a bem da verdade, kkkkkkkkkk.
    Eu confesso que, embora eu tenha tido um namorado por um bom número de anos, sair sozinha é libertador e maravilhoso na mesma medida. Esses dias fui na Feira do Livro da minha cidade e pensa numa coisa boa demais! Achei a dica de livro bem da hora!
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky…

  3. Mulher Virtuosa By Vany

    6 de novembro de 2021

    Muito bacana sua indicação. Concordo com você, não devemos generalizar os homens de forma negativa.

  4. Kênia Candido

    2 de novembro de 2021

    Oi Erika!

    Eu não curti muito meu tempo de solteira não. Eu casei bem cedo, mas por ser filha única sempre gostei de fazer as coisas sozinhas, mas certas coisas nunca fiz sozinha. Um bom exemplo é viajar. Na verdade aprendi ter companhia quando comecei a namorar com meu marido e depois de casada com ele e meus filhos. Quem é solteira com certeza este livro vai trazer várias dicas fabulosas e reflexões para carregar pra vida toda.

    Bjos

  5. Ana Caroline Santos

    31 de outubro de 2021

    Olá, tudo bem? Adorei a dica! Seria um livro que me envolveria no momento, pois estou nesse situação atual, além do mais de aparentar conversar com o leitor. Eu sempre fui uma pessoa muito independente para tudo, praticamente gostando de fazer as coisas sozinhas. Acho que por isso posso me identificar com o título, além de aprender que também nem tudo deve ser 100% isolado. Dica excelente!
    Beijos

  6. Julianna Magdalena Terra da Silva

    26 de outubro de 2021

    Amei o post! Eu curti muito o meu tempo de solteira e quando mais nova sempre gostei de curtir a vida. Hoje sou noiva e também confesso que amo dividir tudo com meu amor. Acho que é uma questão de fase e do que você quer pra sua vida em determinado momento. Mas sem dúvida curtir a sua companhia e outras coisas antes de entrar em um relacionamento faz toda a diferença na vida.

  7. Minda

    26 de outubro de 2021

    Esse não é um livro que me chame atenção só o fato de falar mal de homens como você mencionou já é algo que não teria paciência para ler. Gostei da sua sinceridade em relação ao livro! Um gasto a menos na minha vida!

  8. Carol Nery

    24 de outubro de 2021

    Interessante seu post. Na verdade, gostei mais do seu relato, do que de fato do livro citado. hehehee
    Eu tô numa altura da vida que nem quero pensar nessas coisas, viu? Acho que se não estivesse mais com meu marido por algum motivo, eu iria era ficar solteira “pra sempre”! Jesus, que preguiça de começar tudo do zero. hahahaha
    Enfim, esse não é um livro que ganha minha atenção. Mas é bem legal para fazer refletir, né? Espero que quem tenha contato com ele aproveite muito!
    Grande abraço.

  9. Val

    24 de outubro de 2021

    Eu não lembro de ter sido soltera. Geralmente enmendada um relqcionamento no outro. Hoje tenho um parceiros de lindos e longos anos, e se um dia me separar, não vou querer saber de ninguém por um bom tempo. Viver a solteirice uma vez na vida.
    Mas do jeito que estou tá ótimo, porque meu marido é uma compañía que ma faz muito bem.
    Sobre o livro, acho que vale pela curiosidade. Ao menos pra mim rs
    Tschuss

  10. Relíquias da Lara

    24 de outubro de 2021

    Eu passei a maior parte da minha vida namorando e sou do time que prefere estar com alguém. Gosto de estar construindo a minha vida em um relacionamento sério… então sou do tipo de pessoa que prefere compromissos. 😀

  11. Leticia Rodrigues

    24 de outubro de 2021

    a última vez que estive solteira foi a mais de 7 anos atrás não me recordo como é essa sensação de não estar com alguém e olha que namoramos a distância o que facilita isso kkk. não sou a maior fã de obras desse estilo mas achei curioso e gera uma reflexão bacana sobre solidão e autonomia.

  12. Joana D’arc

    24 de outubro de 2021

    Oi! Que legal 😀 eu simplesmente amei a sugestão é maravilhosa. È bem interessante 😀 já quero ler!

  13. Joyce

    24 de outubro de 2021

    Amei essa capa, lembra solteirice mesmo. Ser solteiro tem lá suas vantagens né rs. Gostei do tema abordado.

  14. Caroline Silva

    23 de outubro de 2021

    Adorei o tema do livro! Eu sou casada mas tenho saudade da época de solteira haha recentemente nos separamos por 3 meses e tive o gostinho novamente.. mas o coração que manda né? Tudo tem seus prós e contras.