23 de abril de 2021

Oi gente, tudo bem? Quem me acompanha lá pelo instagram @corujageek vê em primeira mão alguns dos livros que chegam por aqui. Compartilho também dicas de filmes e séries nos stories, se ainda não me segue dá uma olhadinha. Um livro incrível que chegou por aqui foi A distância até a Cerejeira da Editora Planeta.

É um daqueles livros que precisamos de uma caixinha de lenços do lado. A autora é de uma sensibilidade tão grande que é impossível não se apegar à Mafalda, querer conhecer seu gatinho Ótimo Turcaret ou ouvi-la cantando junto com seu melhor amigo Felipe.

A distância até a Cerejeira

Mafalda é uma garotinha prestes a completar 10 anos. Seus pais descobrem que ela tem a Doença de Stargardt. É a perda da visão progressiva causada pela morte das células da retina chamada mácula. Com o passar dos dias Mafalda enxerga cada vez menos.

Mafalda percebe uma sombra em seus olhos a qual chama de névoa. Dia após dia ela se põe em frente ao espelho e conta quantos passos até conseguir se enxergar nitidamente. O que percebe porém, é que essa distância está diminuindo ou seja, em breve não conseguirá enxergar nada.

Próximo à sua escola tem uma cerejeira. Mafalda gosta de subir na árvore e ficar ali perdida em seus pensamentos. Num desses dias em que não consegue descer ela conhece Estella a zeladora do colégio. Dessa conversa surge a inspiração de escrever uma listinha.

Meus óculos ficam embaçados.
Certas notícias deveriam ser dadas sempre com um gato junto para abraçar.❞

A distância até a Cerejeira

Mafalda irá escrever tudo o que ela sonha em realizar antes de a névoa cobrir seus olhos para sempre. Contar todas as estrelas que aparecem à noite. Pilotar um submarino. Jogar futebol com os meninos. Ter um melhor amigo. Jogar basquete com bolinhas de papel. Subir na cerejeira da escola.

A pequena garotinha tem um gatinho chamado Ótimo Turcaret cinza e marrom que lhe faz companhia. Ele está sempre presente ouvindo suas ideias e até compartilha a colcha nova que ganhou da vovó. Ela o encontrou abandonado na escola e o levou para casa. As vezes ele a acompanha até a escola mas Estella não gosta muito porque ele passeia pela horta.

Num dia brincando sozinha de cabra-cega no jardim ela ouve uma voz. É Felipe. Ele é um garoto mais velho que vive batendo nas outras crianças. Estuda na mesma escola que Mafalda. Ela tem medo dele. Mas foi Felipe que a deixou jogar futebol no feriado. Quando sua mãe a chama para entrar ela sai correndo e seu cachecol cai. Felipe o pega e devolve. Mafalda vê apenas um borrão mas sente-se grata. (essa é uma das minhas cenas favoritas do livro)

… e posso só imaginar aonde está indo o dono daquela campainha, que parece tão feliz e livre. Queria chamá-lo de volta, pedir para ele me dar uma carona na garupa, porque faz muito tempo que não corro bem rápido de bicicleta, nem a pé. Mas ele é livro, usa óculos transparentes e pode ir aonde quer. Eu estou na prisão…❞

Numa consulta, a médica Olga dá o prazo de alguns meses para Mafalda ficar totalmente no escuro. Então seus pais decidem alterar toda a rotina inclusive se mudar para um lugar que ofereça menos perigo dela cair e se machucar. A garotinha é esperta e não quer sair de perto da Cerejeira da escola. Então bola um plano para fugir de casa e morar na árvore como Cosme do livro O barão nas árvores. É aí que começa toda a aventura.

Mafalda começa a planejar sua fuga. Mas antes, precisa pensar em tudo o que vai precisar na árvore. Um colchão, uma marmitinha, seu gato Ótimo Turcaret, a colcha que ganhou de sua avó, e a blusinha que ganhou de presente da Estella. Será que Mafalda conseguirá morar na Cerejeira?

A distância até a Cerejeira
Minha opinião

Fazia tempo que um personagem não me encantava tanto, ainda mais sendo criança. Eu poderia contar um pouco mais sobre o livro mas tiraria a magia de vocês descobrirem o desfecho. A história mesmo sendo simples traz grandes lições. (estou chorando de novo…)

É impressionante visualizar uma criança tão inocente, tão cheia de energia, mas ao mesmo tempo com receio quanto ao futuro. Quanto a ter filhos, se casar, como será sua vida no escuro. Uma história que nos mostra que devemos valorizar as pequenas coisas, quem está ao nosso lado e nos ajuda.

Todas as crianças têm medo de escuro. O escuro é um quarto sem portas nem janelas, com monstros que nos prendem e nos devoram em silêncio. Eu tenho medo só do meu escuro, aquele que tenho dentro dos olhos.❞

Uma leitura sensível, tocante, e rica. Paola com sua escrita simples e fluida envolve o leitor e nos faz mergulhar no universo de Mafalda. Aquele personagem que nos conquista desde as primeiras páginas. Todos deveriam conhecer Mafalda. Fã dos Beatles, O Pequeno Príncipe, Sherlock Holmes e canta como ninguém. Só digo uma coisa… Leiam!

Agora me conta, conhecia o livro? Já leu algo que te emocionou tanto assim? Não vai embora sem deixar seu comentário hein… 💛

Leia também: A casa do Lago Kate Morton

Até o próximo post, Érika ♡

Nos acompanhe nas redes sociais
Facebook ♡ Instagram ♡ Twitter ♡ Pinterest

Erika Monteiro
Post escrito por Erika Monteiro

Descobri desde cedo quão incrível é o universo dos filmes, séries, livros e todo esse mundinho geek. Criei esse espaço para compartilhar experiências e trocar ideias.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Avatar

    Ivi Campos

    8 de maio de 2021

    Fiquei mega interessada na leitura porque acho que a Mafalda vai me ganhar do começo ao fim. Adoro livros com protagonismo infantil e passando por uma situação assim, de superação, já quero pra ler agora mesmo!

  2. Avatar

    Gisele

    7 de maio de 2021

    Olá, tudo bem ?
    Eu não conhecia o livro ainda, mas achei tão interessante e fofo, pensei em ler com minha filha. Acho que seria interessante.
    Adorei a resenha, me pareceu um livro lindo e emocionante.
    Beijos

  3. Avatar

    Bianca Ribeiro

    3 de maio de 2021

    Oi Erika!!

    Nossa, só de ler a sua resenha eu fiquei emocionada quem dirá lendo esse livro, provavelmente eu vou chorar igual uma condenada, exaamente o tipo de leitura que eu tô precisando agora HAHAHAHHAHAHAHA
    Me convenceu a ler, adorei a sua resenha e suas fotos ficaram perfeitas!

  4. Avatar

    Ana Caroline Santos

    3 de maio de 2021

    Olá, tudo bem? Há um bom tempinho que não leio um livro com perspectiva com criança, o que me deixou animada com a obra. Ainda mais quando sei que irei me emocionar, e senti isso pela premissa. Dica super anotada e espero assim como você, adorar. Ótimas fotos e resenha!
    Beijos

  5. Avatar

    cila

    2 de maio de 2021

    Oi Erika, como vai?
    Já fiquei emocionada só lendo sua resenha. Acho que irei chorar lendo esse livro. Essas doenças acabam com o nosso coração, o meu ficou bem pequeno só de imaginar as coisas que ela vai passar. Parece ser lindo! Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!
    beijinhos.
    cila.

  6. Avatar

    Alice Martins

    28 de abril de 2021

    Olá Érika, tudo bem?

    É tão bom quando um personagem nos encanta, ainda mais sendo uma criança, isso se torna ainda mais incrível. Eu sou apaixonada por histórias com grandes lições, sensíveis e tocantes, então as chances de eu amar essa são bem altas. Não conhecia o livro, mas já anotei a dica aqui. Espero ter a oportunidade de ler o quanto antes e também gostar tanto quanto você. Arrasou no post! E adoro te acompanhar no instagram <3 Beijos!

  7. Avatar

    Paloma

    27 de abril de 2021

    Esse livro deve ser muito fofo. E saber que a menina tem um gatinho já me encantou. A pureza da criança faz vermos tudo com olhos diferentes.
    Já coloquei na minha lista de leitura.

    Beijos,
    Paloma Viricio

  8. Avatar

    Paulinha Coppola

    27 de abril de 2021

    Adorei o modo como resenhou o livro. Com certeza vou querer ler, já anotei.
    Gosto muito de histórias que nos dá um chacoalhão para acordar sobre alguns assuntos.
    Obrigada por compartilhar!
    Beijinhos

  9. Avatar

    Julianna Terra

    27 de abril de 2021

    Erika, querida!

    Suas resenhas sempre muito completas e emocionantes. Eu ainda não conheci a esse livro mas, confesso que fiquei curiosa para ler. Já li uma infinidade de livros ao longo desses 30 anos, mas até hoje o que mais mexeu comigo foi querido John, por na época uma história similar acontecer na minha vida. Me vi naquele livro em diversos momentos. Amei seu post, alias seu blog é uma lindeza. Beijos

  10. Avatar

    Lenny

    27 de abril de 2021

    Não conheço o livro , mas certamente pela sua resenha, é um livro , com uma história marcante, com muito aprendizado, me tocou pela sensibilidade da história.

  11. Avatar

    minda

    27 de abril de 2021

    Eu não conhecia o livro, achei bem interessante, com certeza quero ler, levo comigo o título para numa nova compra tê-lo comigo! Adorei a indicação!

  12. Avatar

    Leticia Rodrigues

    26 de abril de 2021

    Que história sensível e simbólica.
    Acho bacana trazer uma história sobre essa síndrome que querendo ou não não são conhecidos e trazer isso com sensibilidade é importante e eu fiquei bem curiosa.

  13. Avatar

    Carol Nery

    26 de abril de 2021

    Erika do céu, NÃO DOU CONTA!!! Eu morro se leio um livro desse. Eu tenho muitos problemas em lidar com literatura que traz esses temas. Sicklit só leio se for enganada. Mas, eu achei tão linda a forma que você contou a história, como passou o que pensou e sentiu, e como parece ser um livro lindo e tocante. Queria ser menos manteiga derretida. Mas, sei que não tenho estruturas.
    Acredita que tô com vontade de tê-lo, para… quem sabe, um dia!!!!! hehehehe Fiquei apaixonada com sua resenha.
    Aquele abraço

  14. Avatar

    Izabela

    26 de abril de 2021

    Adorei a sua resenha sobre o livro, super completa 😊

    Sinceramente eu não conhecia esse título, mas apenas lendo seu relato achei emocionante.

  15. Avatar

    Joana Darc

    26 de abril de 2021

    Oi! Eu adorei a sugestão, a trama parece ser bem tocante. Fiquei curiosa para conhecer a história da Mafalda 🙂

  16. Avatar

    mi maxwell

    26 de abril de 2021

    Fiquei emocionada com a história de Mafalda e cheia de vontade de lê-la. Valeu por mais essa dica! Bjos!

  17. Avatar

    Debora Sapphire

    25 de abril de 2021

    Achei encantador e emocionante por tudo o que você apresentou aqui e já ganhou muitos pontos positivos pela sensibilidade da autora em trazer essa história tão rica e sensível, além de tocante realmente. Fiquei animada por saber que é bem fluída e envolvente também. Seria total novidade pra mim.

  18. Avatar

    Karina RODRIGUES

    24 de abril de 2021

    Oie Erika! Não conhecia o livro e fiquei bem interessada na história, principalmente pq minha mãe teve um diagnóstico de buraco macular, e graças a Deus conseguiu reverter. Mas vivemos um bom tempo acompanhando esse processo e pensando no futuro.
    Acredito que possa me sensibilizar bastante com a vida de Mafalda.
    Bjos

  19. Avatar

    Patrícia Veludo

    24 de abril de 2021

    Olá. Nunca tinha ouvido falar do livro “A distância até à cerejeira”, mas me parece bem interessante. Penso que a história da Mafalda tocará qualquer um que leia o livro.

  20. Avatar

    Joyce

    24 de abril de 2021

    Esse livro já está na minha lista de desejados já faz um bom tempo. Sei que vou chorar horrores quando ler, não vejo a hora de tê_lo em minhas mãos.

  21. Avatar

    Lilian Farias

    24 de abril de 2021

    Oi, te acompanho lá pelo IG e gosto bastante de suas fotos. Vi A distância da cerejeira e fiquei bastante curiosa, gostei da proposta. Acho que ficarei bem tocada com a história de Mafalda, perder a visão aos poucos deve ser muito difícil.Recordei do autor Borges.

  22. Avatar

    Valéria

    23 de abril de 2021

    Hallo, Erika.. nao conheço o livro mas acredito que seja uma história bem emocionante. Nunca tinha ouvido falar da doença, ou melhor – da denominação dela. Mas sei de alguns casos que, provavelmente, são dessa doença. Inclusive aluno meu…
    Fiquei curiosa em ver como a autora conduziu a aventura de Mafalda pra morar com o gatinho na árvore…
    Tschüß