A sociedade literária e a torta de casca de batata – Mary Ann Shaffer

Oi gente, tudo bem com vocês? Essa semana estive mais presente lá nos stories e achei bem legal a interação. Se ainda não segue fica o convite @corujageek Sempre que chega caixinhas por aqui mostro no instagram. Recebi o livro A sociedade literária e a torta de casca de batata em parceria com a Editora Rocco. É uma história simplesmente incrível vamos conversar sobre ele?

A sociedade literária é aquele livro gostoso de ler, que traz personagens carismáticos como Juliet Ashton, é baseado em fatos reais, além de trazer toda uma ambientação que nos remete à Ocupação alemã na Inglaterra entre os anos 1940-1945.

A Sociedade Literária
A história

A sociedade literária e a torta de casca de batata conta a história da escritora Juliet Ashton que vive em Londres. Durante a 2ª guerra mundial ela escrevia artigos humorísticos para um jornal. Terminada a guerra seu objetivo era escrever um livro. Ou seja, encontrar uma história que valesse a pena ser contada.

É isso que eu amo na leitura: uma pequena coisa o interessa no livro, e essa pequena coisa o leva a outro livro, e um pedacinho que você lê o leva a um terceiro. Isso vai em progressão geométrica – sem nenhuma finalidade em vista, e unicamente por prazer.”

Num dia qualquer ela recebe uma carta muito simpática de Dawsey Adams morador de Guernsey, Ilha do Canal. Na carta ele diz ser fã do escritor Charles Lamb e pede se possível que ela encontre outros livros e envie para ele. Devido à guerra é quase impossível encontrar livros. É assim que inicia uma linda amizade entre Dawsey e Juliet.

A Sociedade Literária
A sociedade literária e a torta de casca de batata

Quem acompanha o blog a mais tempo sabe que as capas sempre me conquistam antes mesmo da história com esse livro não foi diferente. Ter uma cartinha na capa fez toda diferença. Me fez querer saber mais sobre o livro na mesma hora.

Talvez haja algum instinto secreto nos livros que os leve a seus leitores perfeitos. Se isso fosse verdade, seria encantador.”

Desde adolescente cultivei o hábito de escrever cartas. As pessoas ligavam para as rádios e deixavam seus endereços e o locutor divulgava num determinado horário. Quem quisesse podia pegar o endereço e escrever. Era interessante porque antes mesmo de começar a se corresponder a única coisa que sabíamos era o nome da pessoa. E assim surgiam muitas amizades. Quando vi esse livro a primeira vez senti essa nostalgia.

A Sociedade Literária
Ocupação Alemã em Guernsey

Outro detalhe são os fatos históricos. Desde que fiz cursinho para o vestibular me interessei por História Geral. Aquela que estuda tudo o que aconteceu com todos os países. Logo no início do livro tem um mapa das Ilhas do Canal. Soube que Guernsey foi bombardeada e ocupada pelos alemães o que levou a ilha ficar sem mantimentos, roupas, comunicação, além de as crianças serem enviadas sozinhas para Londres.

Um editor não devia mandar apenas uma prova de um livro para uma livraria, devia mandar várias, para que os funcionários também pudessem ler.”

Esses dois pontos já ganharam meu coração. Conforme a leitura avança conhecemos os personagens dessa história incrível. A escritora Juliet Ashton, seu editor Sidney, sua melhor amiga Sophie e um carinho todo especial pelos moradores da ilha: Dawsey, Sra. Maugery, Isola, Eben, Eli, Mark Reynolds, Susan, Elizabeth e a pequena Kit. Que me conquistou desde a primeira aparição.

A Sociedade Literária
Guernsey, Ilhas do Canal

Sabe quando fechamos os olhos e conseguimos imaginar exatamente um lugar? Foi assim com os moradores de Guernsey. Consegui visualizar o mar, os rochedos, as galinhas, Kit embaixo da mesa falando baixinho, Eli esculpindo a madeira e criando lindas obras de arte, além do céu laranja depois do pôr do sol.

Pessoas que moram perto de água corrente são muito mais simpáticas do que as que não moram.”

No decorrer da história várias vezes fui ao Google pesquisar informações. Descobri que Charles Lamb realmente existiu (fev/1775 – dez/1834), que a ocupação alemã destruiu França e Inglaterra. E o mais interessante que Guernsey não é um lugar fictício, existe de verdade. Isso nos aproxima ainda mais da história.

A Sociedade Literária
St. Peter Port

Na segunda parte do livro Juliet desembarca em St. Peter Port para conhecer pessoalmente seus novos amigos. A recepção foi tão calorosa que me senti parte daquele grupo. Interessante pelas cartas é como se eles se conhecessem a uma eternidade.

A mente pode fazer amizade com qualquer coisa.”

Além da troca de cartas outro ponto que merece atenção é o surgimento da Sociedade Literária. E o mais engraçado porque escolheram “torta de casca de batata”. Nas cartas Dawsey vai contando à Juliet quem são os membros da sociedade, quais livros eles leram e como é a rotina na ilha.

A Sociedade Literária
A Sociedade Literária

Juliet demonstra interesse em conhecer mais sobre a vida daquelas pessoas e logo está recebendo cartas que todos os membros da Sociedade Literária. Até de uma moradora que não aprova muito o grupo haha (essa parte é engraçada) 🙂

O universo literário é algo fascinante. Reúne pessoas tão diferentes que no fundo buscam a mesma coisa: um bom livro para ler!”

Gostei de passear pelas ruas de Londres, conhecer Guernsey, estudar a história do lugar, e ainda assistir um lindo pôr do sol dos rochedos. Sem palavras para dizer o quanto me diverti com as cartas da Juliet. Ela é bem-humorada, sabe o que quer, e sempre está aberta para novas amizades.

A Sociedade Literária
Juliet e Mark Reynolds

Terceiro ponto que merece atenção é o relacionamento entre Juliet e Mark Reynolds. Pela troca de cartas é possível perceber que ele não apoia sua carreira. Quando ela decidiu ir à ilha buscar mais material para seu livro ele se mostrou irredutível chamando-a de tola. Segundo ele, Juliet deveria ficar em Londres e casar-se com ele.

Os homens são mais interessantes em livros do que na vida real.”

Como perceberam é uma história riquíssima. Une nostalgia, história, literatura, romance, amizades, viagens, e um grupo de personagens que nos conquista desde a primeira carta.

A Sociedade Literária
Minha opinião

Ao terminar a leitura me questionei: “por que demorei tanto pra ler”? Chorei lendo algumas cartas (quando alguém contava como a ilha tinha sofrido com a Ocupação alemã). Senti dúvida lendo outras (o que me fez pesquisar bastante). Porém me diverti muito lendo as cartas da Juliet. Por diversas vezes fui capaz de ouvir sua voz lendo do meu lado.

Sabe quando terminamos de ler e ficamos em dúvida se aquelas pessoas existem de verdade? Senti vontade de conversar com a Maugery. De conhecer a corajosa Elizabeth. De brincar com a pequena Kit. É um livro muito bem escrito. Se indico? Com certeza!

Achava incrível, e ainda acho, que tantas pessoas que passeiam pelas livrarias não saibam realmente o que querem comprar – elas só querem dar uma olhada nos livros, na esperança de encontrar algum que desperte seu desejo. E então, por serem espertas o suficiente para não confiar na conversa do editor, elas fazem três perguntas ao vendedor: 1 – O livro é sobre o quê? 2 – Você já leu? 3 – Achou bom?”

A história foi adaptada e está disponível no Netflix. Pensei em falar sobre ele aqui mas tenho muitos comentários, então farei um post especial somente sobre o filme ok?

Me contem, gostam de escrever cartas? Estudar história geral? Viajar enquanto leem? Conheciam o livro? Assistiram o filme? Espero que tenham lido até aqui. Se ainda não conhecem Juliet, Dawsey ou Maugery vale a pena dar uma chance! 🙂

Leia também: Em um bosque muito escuro

Até o próximo post, Érika ♡

Nos acompanhe nas redes sociais:
Facebook ♡ Instagram ♡ Twitter ♡ Pinterest

Loading Facebook Comments ...

10 Comments

  1. Avatar
    Alice Martins 21/08/2019 at 12:07

    Olá Érika, tudo bem?
    Não sabia da existência do livro, só tinha ouvido falar da adaptação da Netflix, que inclusive não assisti ainda. Amei conhecer um pouco mais sobre essa história, principalmente por ela reunir duas coisas que simplesmente amo: histórias que se passam na Segunda Guerra Mundial e que tenham invasões, e cartas, que é uma das minhas paixões. Eu também já escrevi muitas cartas e ainda mantenho esse vício, que sempre foi cultuado. Seu post me deixou com muita vontade de conhecer o livro, e vou esperar seu review do filme, mostrando as diferenças de ambos. Arrasou!

    Beijos!

  2. Avatar
    Carol Cavalcanti 20/08/2019 at 21:08

    Sempre fiquei curiosa com esse título e agora achei bastante interessante! Ao ler sua introdução senti também a nostalgia das cartas…
    E essa capa realmente é linda, fiquei com vontade de ter aqui comigo!
    Carol,

  3. Avatar
    Joyce 19/08/2019 at 20:42

    Olá, esse livro já está na minha listinha há um tempão. Quero ler o livro primeiro para só depois assistir ao filme. Sua resenha ficou incrível, só me deixou mais ansiosa por essa leitura. Bjusss.

  4. Avatar
    Alice Lacerda Montiel 19/08/2019 at 18:34

    Oiii Erika,

    Me envolvi completamente lendo tua resenha, parece que já meio que conheço os personagens, a história parece ser tão completa e cheia de detalhes e eu gosto muito quando traz fatos históricos. A capa tb está linda demais. Nunca tinha prestado atenção a esse livro, mas tua resenha me fez enxergar ele com olhos mais atentos, com certeza vou deixar a dica anotadinha pra quando surgir a oportunidade.

    Beijos, Alice

  5. Avatar
    Isa Santos (@leportraitdeisa) 19/08/2019 at 17:00

    Nossa, parece ser um livro acolhedor! Como você também amei a capa.. e como você (novamente hihihi) amo história, até prestei o vestibular para tal, mas acabei escolhendo outro curso! O fato é que amo histórias aonde podemos entender mais sobre a guerra, como neta de ex combatente esse assunto sempre teve um cunho muito especial e emotivo para mim! Além disso amo cartas também, minha escola tinha um programa logo quando eu era criança que precisavamos nos corresponder com alunos de outras escolas da cidade e eu amava! Um livro cheio de nostalgia, com certeza vai para minha lista !

  6. Avatar
    Luna 18/08/2019 at 19:09

    Este é um livro que ficou na minha lista de desejados durante um tempo, até que finalmente consegui comprá-lo. Não sabia bem do que se tratava o livro, apenas que era muito indicado e uma amiga me recomendou. Ela chegou a me enviar um trecho em que os personagens falavam das irmãs Brontë e isso era suficiente para me fazer querer o livro.rs
    Amo histórias nas quais os personagens amam ler! É por isso que estou assistindo Bom Sucesso, na Globo, por todas as referências literárias presentes na história e pelo personagem principal ser um editor completamente apaixonado por livros. Muitas cenas se passam na biblioteca particular dele. Amo muito!
    Vou ler este livro em breve, e sua resenha só me deu mais certeza de que vou amar perdidamente este livro! Quero conhecer a Juliet, seus novos amigos e as cartas divertidas e emocionantes trocadas entre eles.
    Bjs!

  7. Avatar
    Debora Sapphire 18/08/2019 at 16:47

    Que post mais maravilhoso esse! Amei o seu capricho na criação da apresentação dessa obra incrível recebida. Eu adorei poder conhecer mais a respeito desse livro, que você recebeu em parceria com a Editora Rocco. O enredo dessa história, despertou o meu interesse e a minha curiosidade. Acredito que eu nunca tenha lido nada parecido. E saber que é baseado em fatos reais, além de ser capaz de nos arremeter a Ocupação alemã na Inglaterra, me intrigou muito. Muito interessante. Achei ótimo poder conferir a sua opinião a respeito também. Muito obrigada por esse ótima dica! Já está mais do que super anotada. Vou querer conferir por mim mesma, depois.

  8. Avatar
    Carol Nery 18/08/2019 at 10:05

    Oi Erika!
    Eu participo de um grupo de Leitura Coletiva que leu há uns meses esse livro. Eu queria MUITO!!! Mas, não consegui encaixar na época. Todos falam tão bem, todos gostaram tanto… eu me sinto perdida em meio a tantos comentários bons.
    Sua resenha foi mais um pontapé para minha decisão de conseguir ler o danado ainda nesse ano!!!
    Abraços

  9. Avatar
    Ana Caroline 18/08/2019 at 00:33

    Olá, Erika.
    Essa temática de guerra sempre mexe com a gente, né? Eu pelo menos me emociono bastante quando leio algum livro que se passa em alguma das guerras que já aconteceram.
    Imagino que essas declarações nas cartas são bem emotivas, se você falou que chorou, com certeza irá acontecer o mesmo comigo.
    Não conhecia o livro, também achei a capa dele linda e a premissa interessante.

  10. Avatar
    Renata 16/08/2019 at 21:27

    Ahhhhhhh esse é o meu livro favorito <3
    Assisti primeiro o filme e não via a hora de ler o livro, e caramba! Sensacional! Me emocionei também, em várias partes. E foi o empurrãozinho que faltava para eu entrar como mediadora de um clube de leitura.

Deixe um comentário