Desapego do passado e dos sentimentos antigos

É de madrugada confesso que já estou com sono, mas sabe quando sentimos algo no fundo da alma e parece que seus dedos querem digitar? Sempre pensei muito sobre as coisas que nos acontecem, sobre nosso propósito de vida, qual a nossa arte e o que deixaremos de bom para as pessoas que nos cercam. Em algum momento da vida precisamos praticar o desapego do passado e dos sentimentos antigos que teimam em nos fazer companhia.

Desde que conheci um pouco mais sobre o minimalismo essa necessidade de me descobrir, de saber quem sou, e repensar tudo que venho fazendo é uma constante nos meus dias. O que te inspira quando você acorda? O que te motiva levantar todos os dias e realizar tudo o que tem pra fazer? Dinheiro? Família? Realização de sonhos?

Cada dia que passa a rotina fica mais corrida, enviamos e-mails, atendemos telefonemas, resolvemos problemas, estudamos, trabalhamos, recebemos nosso salário, pagamos nossas contas, o que fazemos enquanto isso? Como aproveitamos nossos dias? Será que estamos felizes fazendo o que fazemos? Se alguém nos mostrasse outras opções será que continuaríamos fazendo as mesmas coisas?

O que faz nossos olhos brilharem de verdade? O que nos move dia após dia? É conseguir emagrecer? Ter dinheiro para viajar? Comprar um carro? Qual seu pensamento quando levanta da cama e começa um novo dia?

Quando pensei em adotar o Minimalismo como estilo de vida comecei pelo guarda-roupa, mas não imaginei que retirar todas as roupas, separar, compreender meu estilo, e me desfazer daquilo que não servia mais mudaria tanto internamente. Assim como no guarda-roupa vamos acumulando roupas que compramos só porque era
liquidação, porque achamos bonita à primeira vista, ou esperamos uma ocasião especial para usar, internamente também somos acumuladores.

Guardamos nostalgia, saudade de um tempo que pensamos sermos felizes, alegrias, tristezas, decepções, frustrações, mágoa por sonhos que não se realizaram, desejo de voltar ao passado e fazer tudo diferente… Temos a crença que tudo seria de outra forma, mas será mesmo?

Esvaziar o guarda-roupa te ajuda a olhar melhor para seus próprios sentimentos, a perceber que assim como as roupas, alguns sentimentos precisam ir embora, precisamos desapegar. Em duas semanas já tirei e coloquei as roupas no guarda-roupa mais vezes que no último ano, está sendo um processo intenso me desfazer de sentimentos que carrego dentro de mim a bastante tempo.

Sabe como me sinto? Como se para voar precisasse largar a mochila que carrego nas costas, mas na minha mente o que tem dentro dela é meu “tesouro” e me desfazer disso me deixaria vazia. É um duelo interno entre voar livremente e deixar essa bagagem pra trás. Há dias em que sinto grande confiança e penso que irei conseguir, mas em outros guardo todos os sentimentos de volta e tento seguir em frente.

São sentimentos que as vezes machuca, faz doer, mas sinto que preciso deles para respirar. Confesso que não consigo compreender. Sabe quando uma pessoa te aconselha a “colocar uma pedra” em cima de tudo e esquecer… acredito que no momento em que encontrar meu estilo, encontrar minha arte, conseguir me desfazer daquelas peças que trazem uma história, esses sentimentos também irão embora.

Nada se leva dessa vida então porque viver guardando um passado dentro de uma caixinha sendo que não podemos mudá-lo? Porque simplesmente não deixamos ir? Sabe aquela dinâmica que os psicólogos fazem com duas pessoas onde uma fica de costas e precisa confiar que a outra vai segurá-la? Me sinto mais ou menos assim em relação a abrir mão do que tenho aqui dentro, sinto que estou de olhos fechados e não sei o que vai acontecer quando me jogar.

Sinto o coração meio apertadinho agora, mas feliz por poder compartilhar esse processo com vocês. Acredito que toda mudança nos faz mais fortes, mais maduros e mais conscientes de quem somos de verdade. Esse é um dos conceitos do Minimalismo se desfazer daquilo que não gera valor, que não serve mais e está apenas ocupando espaço desnecessário.

No mês de junho estamos fazendo o Projeto 30 dias de minimalismo vem participar também 🙂

Gratidão a você que leu até aqui >> Érika 💫 <<

Acompanhe também nas redes sociais:
Facebook  Instagram  Twitter  Flickr  G+

Você pode gostar ♥
Loading Facebook Comments ...

23 Comments

  1. Vitória Bruscato 08/10/2017 at 23:30

    Todas as mudanças são necessárias e fazem bem, ajudam no amadurecimento. Esse tipo de texto sempre me faz pensar muito sobre a vida. Acho que, vivemos mecanicamente, temos uma rotina igual todos os dias, porque infelizmente somos obrigados a trabalhar e ganhar dinheiro para conseguir sobreviver (duas coisas que desencadeiam várias outras em nossas vidas), então, como não temos muita opção, devemos pegar o pouco que temos e tentar fazer disso o melhor, ou transformar em algo melhor.
    Adorei seu texto, beijão!
    Cheiro de Pipoca

  2. Rebeca Stiago C. 08/10/2017 at 23:30

    Oii Erkia, fazia tempo que eu não vinha aqui!! O teu blog tá
    com a cara linda! E eu adorei o teu texto. Sabe, sempre interpretei o
    minimalismo como a moda de “vestir menos” (ou algo assim). Tambem nunca me apeguei
    nisso. Mas lendo teu texto eu fiquei positivamente surpresa. Que comparação
    linda de tentarmos sermos “minimalistas” na vida. Já pensou que bom tirar tudo
    pra fora, reorganizar, tirar o excesso e seguir em frente? Me identifiquei
    muito com o teu texto. Parabéns. Beijo (Blog Verdade Escrita)

  3. Mandy 08/10/2017 at 23:29

    Que belo texto! Sempre falo pra mim mesma, não deixar que seu passado te paralise, eu me sentia pressa ao passado, momentos péssimos que fica trancado dentro da alma, mas Jesus Cristo me libertou disso, a cada dia que acordo, agradeço a Ele por mais um dia. Sobre o minimalismo, final de 2015 eu desapeguei de muitas coisas (roupas, livros) pq me mudei pro RS, e esse ano vi um documentário na Netflix sobre minimalismo como estilo de vida e me motivou a seguir com isso, muito bacana seu texto, sempre é bom colocar pra fora 🙂
    Beijos
    http://www.mandyline.com

  4. Julia Maximiano 08/10/2017 at 23:28

    Nossa! Que texto bonito e sincero! Concordo que as vezes essas dores do passado nos impõem limites, até que percebemos que chegou a hora de deixá-las apenas no passado e finalmente seguir em frente, levando elas apenas como aprendizados…

  5. Amanda Barreiro 08/10/2017 at 23:28

    Oi! A gente carrega tanto sentimento, tantas memórias que nos arrastam pro passado, né? Parece um peso. Algumas realmente não nos deixam seguir em frente, sempre voltamos naquele lugar doloroso. Acho que é bem isso que você disse mesmo, a gente precisa desapegar, olhar pro passado só como experiência, aprendizado, e seguir em frente. Adoro seus textos!

    Beijos!

  6. Carina Santos 08/10/2017 at 23:28

    Nossa Érika, que incrível essa tua coragem de falar de uma forma tão sincera sobre os teus sentimentos e como tu está encarando todo esse processo na tua vida. Acho que todos nós nos deparamos com momentos assim, em algum momento. Que as coisas possam tomar a proporção certa pra ti e que tudo fique mais calmo com o tempo. ^^

    http://aguriademoletom.blogspot.com.br

  7. Amilton Júnior 08/10/2017 at 23:27

    Sabemos quando as coisas do passado não são tão boas e que não merecem permanecer na nossa memória afetiva quando sentimos um peso ao recordar delas, uma angústia, desejo por não tê-las vivendo, devemos mesmo descarregar a mochila e criarmos espaço para as boas novas. Abraços 😊

  8. Laura Nolasco 08/10/2017 at 23:26

    Oooi Erika, amei o texto!
    Eu escrevi hoje também sobre definir meu estilo pra consumir de maneira consciente e etc… Ainda não encarei de frente o minimalismo, mas pensar em simplificar e “limpar” as coisas tem me feito bem.
    Eu sei que não é facil desapegar das coisas, estou passando pelo mesmo processo – de tempos em tempos faço isso. E sempre dói MUITO me desapegar dos meus papeis – cadernos, mesmo que de escola, usados… engraçado, né? Com as roupas não sinto tanto.
    Força pra você nesse processo, e que ele traga mudanças positivas!
    Beijos!

  9. Renata Borges 08/10/2017 at 23:26

    Oi Erika! Bom demais a leitura desse seu texto. Me fez refletir sobre tantas, mas tantas coisas, em tão poucos parágrafos, que me fez querer ir aí só pra te dar um abraço (sinta-se abraçada, de toda forma! <3). Eu não comecei o projeto e, para ser sincera, eu ando uma bagunça. Um enorme amontoado de problemas, sentimentos e deveres e afazeres que não cabem em mim. Falta tempo para tudo e, ao mesmo tempo, será que o que falta é mesmo tempo? (Sim, falei tempo três vezes, mas a ideia era essa… rs). Não sei exatamente por qual caminho vou conseguir emergir, mas estou buscando. Não é algo que apenas um projeto de 30 dias vai resolver, é mais um pontapé, para dizer a verdade. E, de fato, o que eu quero, é conseguir dar esse pontapé. Sair do lugar, mudar de ares, de ponto de vista. Preciso respirar fundo e dar um passo, depois o outro. Tu chega lá, eu também. E acho que é nessa parte que temos que focar! <3
    xoxo

  10. Luciana Ruas 14/06/2017 at 23:48

    Tão inspirador, amei o texto!

  11. Vanda Leite 14/06/2017 at 15:04

    Que bonito posto *.* este tipo de textos faz-nos reflectir!

  12. Luana de Souza 11/06/2017 at 03:01

    Seus posts são sempre tão lindos <3

  13. Márcia Vasconcelos 10/06/2017 at 21:18

    Amei o post ! Super inspirador ! ❤️

  14. Bruna Andreoli 10/06/2017 at 18:13

    Que post mais lindo!!!! São posts assim que ajudam a gente de verdade, muito bom me identificar

    1. Quero ser Alice 12/06/2017 at 22:11

      Fico muito feliz em saber que se identificou e gostou do post. Espero continuar criando bons conteúdos para ajudar ainda mais pessoas :*

  15. Jenny Stephanie 10/06/2017 at 17:59

    Amei o post e a pergunta que me fez pensar foi ” se alguem nos mostrasse outras opçoes sera que continuaríamos fazendo as mesmas coisas?”

    1. Quero ser Alice 12/06/2017 at 22:13

      Muitas pessoas com certeza fariam escolhas diferentes, decidiriam ter outras experiências e com certeza viver outras vidas. Que bom ter gostado do post, seja sempre bem vinda :*

  16. Descomplica os Trinta 09/06/2017 at 19:10

    Já tinha lido o Post do projeto minimalismo e agora lendo esse novo Post fiquei pensando que maravilhoso acompanhar esse processo com você e entender e vivenciar um pouquinho de como essa experiencia pode mudar as pessoas. Já estava afim de tentar, agora então…

    1. Quero ser Alice 09/06/2017 at 23:00

      Muito obrigada pelas palavras. É uma mudança muito grande, mas precisa começar pela mente e com um primeiro passo. Ficarei feliz se você fizer o projeto também, depois me conta 😉

Deixe um comentário