Gente Ansiosa
20 de dezembro de 2021

Oi gente, tudo bem? Quem segue o blog pelo instagram acompanhou o diário de leitura de Gente ansiosa, novo livro de Fredrik Backman lançado pela Editora Rocco. Outras obras do autor são Minha avó pede desculpas, Britt-Marie esteve aqui e Um homem chamado Ove.

Fredrik Backman tem uma linguagem tão envolvente que é impossível largar o livro antes de chegar à última página. Com Gente Ansiosa não foi diferente. Mesmo sendo um livro intenso consegui lê-lo em 3/4 dias.

De maneira geral não costumo chorar durante as leituras, talvez porque geralmente sejam thrillers, policiais ou desenvolvimento pessoal. Mas alguns como Para sempre perdida, A sociedade literária da casca de batata, de certa forma foram tocantes pra mim.

Uma característica do autor é trabalhar com personagens idosos, o que é um diferencial se comparado a outros autores do gênero. Ainda lembro da primeira vez que assisti o filme Um homem chamado Ove junto com meu namorado e se tornou um dos nossos favoritos, tanto que assistimos mais duas vezes.

Minha avó pede desculpas era meu livro favorito mas agora me sinto dividida entre ele e Gente Ansiosa porque ambos são histórias inesquecíveis. O autor criou algo tão profundo que é difícil não compartilhar dos mesmos sentimentos que os personagens. De sentir empatia e torcer por todos eles.

Gente Ansiosa

O livro vem contar a história de um assalto a banco numa pequena cidade da Suécia e um grupo de reféns na véspera da véspera de Ano Novo. Ou seja, quando a maioria das pessoas viajou e o efetivo da polícia está desfalcado. Quando a polícia recebe a ligação informando o que está acontecendo são os policiais Jim e Jack que assumem o caso. No entanto, quando os reféns são libertados o assaltante simplesmente desapareceu.

Como explicar aos superiores, jornalistas, e à comunidade que uma pessoa desapareceu em plena luz do dia? O que faz quando o grupo de reféns não consegue se concentrar e dar informações precisas do ocorrido? O policial Jack terá um árduo trabalho pela frente. Quer saber um pouco mais sobre essa história? Vem comigo!

Sobre um assalto a banco na véspera da véspera de Ano Novo

Um assaltante entra num banco e exige do caixa a quantia exata de 6.500 pratas. Detalhe: o banco não tem dinheiro. Simplesmente porque hoje em dia as transações são eletrônicas. Então o assaltante sai correndo e entra num prédio. Enquanto procura uma saíde vê uma porta aberta e entra.

Lá ele encontra um grupo de pessoas visitando um apartamento à venda. E, a partir de agora, serão seus reféns por algumas horas. Um grupo bem peculiar por sinal. Zara, Lennart, Roger, Anna-Lena, Estelle, Ro e Julia.

Quando os policiais, Jim e Jack, descobrem que o grupo está sendo feito de refém eles vêm a chance de “mostrar trabalho” e decidem resolver tudo sozinhos. No entanto, seus superiores decidem chamar um negociador de Estocolmo. O que não agrada em nada os policiais da pequena cidade.

Tudo piora quando o mais velho dos policiais ao subir a escada do prédio se depara com uma bomba!!! Inicia então uma corrida contra o tempo para esvaziar todos os apartamentos e evitar que o pior aconteça.

Enquanto isso o assaltante pede a todos que se acalmem porque ele precisa pensar o que fará em seguida. Como assim ele não tem um plano de fuga? Como sairá dali com o prédio cercado pela polícia, impressa, e milhares de curiosos?

Zara e uma carta de 10 anos

É então que o autor começa a nos apresentar cada personagem começando por Zara. Ela trabalha num banco e é responsável por aprovar ou não empréstimos para as mais diversas pessoas. Descobrimos então que a 10 anos ela negou empréstimo a um pai de família e ele se jogou da ponte. Ela carrega a culpa durante todo esse tempo.

Hoje ela tem insônia e precisa de remédios para dormir. No entanto, seu médico indica uma visita ao psicólogo. É quando ela conhece Nadia. Porém, ela não vai receitar remédios antes que Zara converse com ela. É preciso descobrir o que há por trás dessa insônia. De acordo com ela não é o problema e sim o sintoma.

Aos poucos descobrimos que aquele homem que se jogou da ponte escreveu uma carta para Zara. Ela passou os últimos 10 anos temendo lê-la porque não sabe se conseguirá viver descobrindo ser uma má pessoa. Esse dilema segue enquanto acompanhamos várias visitas de Zara à Nadia. Será que ela enfim conseguirá contar tudo à psicóloga?

Roger e Anna-Lena e o companheirismo de uma vida inteira

Como disse anteriormente, Fredrik Backman, trabalha muito com personagens idosos. Grande parte são geniosos e de muita personalidade. Ove é um clássico exemplo disso. Quanto mais eu lia sobre Roger mais semelhanças encontrava entre os dois personagens. Ele é casado com Anna-Lena a 48 anos. E se você tem avós casados a tanto tempo consegue compreender relacionamentos duradouros.

Minha avó se casou com meu avô quando tinha 13 anos se não me engano. Passaram toda uma vida juntos e tiveram 7 filhos. Quando meus pais se separaram (eu tinha uns 3 anos) foram eles que cuidaram de mim quando minha mãe ia trabalhar. Então via como eles tratavam um ao outro, como se respeitavam e como fizeram o casamento durar tantos anos.

É completamente o oposto do que acontece atualmente. Grande parte das pessoas não está disposta a fazer dar certo. Se o companheiro faz algo, por menor que seja, que desagrada o primeiro pensamento é terminar e conhecer outra pessoa. E isso se torna um looping infinito. Um casamento se constrói dia após dia. Não se desiste no primeiro obstáculo.

Roger teve a chance de ser promovido mas abriu mão em detrimento da carreira de Anna-Lena. Ela viajou, mudou de cargo, teve diversas promoções, e quando enfim as crianças cresceram ela sentiu que era o momento de Roger. No entanto, ele foi mandado embora. Viu-se obrigado a se aposentar por esgotamento. E assim, sem emprego, sem netos, sem um propósito ele se viu completamente perdido. E Anna-Lena sente-se culpada por isso.

Estelle e a ausência daqueles que amamos

Estelle por outro lado é uma senhorinha muito simpática com mais de 80 anos. Ela perdeu o marido recentemente e não consegue seguir em frente. Knut lhe faz tanta falta que ela não consegue lembrar como era sua vida antes de conhecê-lo. Ele amava música, mas Estelle é apaixonada pelos livros.

Foi carregando um livro debaixo do braço que Estelle fez amizade com um vizinho no elevador. Um leitor ávido assim como ela. Começaram a trocar livros, conversar sobre os gêneros que gostavam, fazer marcações de quotes, apresentar autores que o outro não conhecia, até que o sentimento entre os dois cresceu e se tornou algo mais do que uma admiração.

Talvez se Estelle o tivesse conhecido antes de Knut uma linda história de amor teria desabrochado. Mesmo assim, ela sente que de alguma forma traiu seu marido. Por ter sentimentos tão profundos por outro homem. Ambos morreram e agora ela se sente sozinha. Não consegue mais imaginar a vida sem seu companheiro.

A história de Estelle me fez lembrar do Ove, pois ele também é viúvo e sente uma solidão imensa. Minha avó faleceu antes do meu avô e a casa ficou vazia. Ninguém conseguia imaginar como seria a vida dele sozinho. Ele sentiu uma tristeza tão grande que somente quem já conheceu o amor é capaz de sentir. Pouco tempo depois ele faleceu também.

Ro e Jules e sobre iniciar uma nova família

Após algumas reflexões vamos conhecer um casal jovem e divertido. Jules tem uma floricultura e está grávida. Seu bebê está quase para nascer. Já Ro é uma daquelas pessoas que ainda não encontrou seu propósito. Ela já quis fabricar vinho, queijo, criar pássaros, estudou decoração e agora com o bebê prestes a nascer ela não tem ideia qual apartamento escolher o que deixa Jules louca haha

Antes de conhecer Ro, Jules estava comprometida. Sua ex-noiva era muito aventureira e ela não conseguia acompanhá-la. Sabe aquelas pessoas que adoram fazer rafiting, trilha, bung jump, e todo tipo de esporte radical? Bem assim! Só que Jules é mais tranquila, gosta de rotina, de estabilidade, e não conseguia ver um futuro com a ex.

Jules conheceu Ro em sua floricultura. Quase toda semana ela ia encomendar tulipas. As duas iniciaram uma amizade mas Jules não tinha certeza de que havia algum sentimento entre as duas. Até que sua mãe disse que ninguém compra tantas tulipas assim se não estivesse interessada. Achei engraçada essa parte 🙂

Mas, desde que Jules ficou grávida, o relacionamento vem sofrendo altos e baixos. Jules anda sem paciência e as duas estão brigando como nunca. Jules culpa os hormônios, já Ro acredita que não será uma boa mãe porque não consegue nem ao menos cuidar do seu próprio celular. Será que dá para colocar um chip nas crianças? haha

Nadia e uma segunda chance de mudar tudo

Alguma vez sentiu não pertencer a determinado ambiente? Como se fosse uma pessoa avulsa, não tivesse ligação com aquele lugar ou com algumas pessoas? Desde criança me mudei bastante. Morei em várias cidades, estudei em colégios diferentes, conheci costumes e culturas que jamais imaginei. Curioso pensar que nunca criei raiz em nenhum desses lugares.

Sempre tive a sensação de ser turista. Pensar que dali alguns dias seria preciso arrumar as malas, ir embora e começar tudo do zero. Me mudei tanto que deixei de ter sotaque então é bem difícil reconhecer de onde sou. Nunca senti que me encaixava. Que fazia parte de algum grupo. Mesmo sendo muito estudiosa e tirando as melhores notas. Com o tempo me tornei introspectiva. Mais ainda quando fui estudar Ciência da Computação, um curso quase todo masculino.

Nadia também se sente dessa forma. E é por isso que um dia, após saber do homem que pulou a ponte ela decide fazer o mesmo. Porque não encontra respostas para todas as angústias que traz dentro de si. Ela sente-se gritando mas os pais não percebem. Para eles Nadia é uma adolescente como as outras.

Quando Nadia está na ponte e se prepara para pular aparece um adolescente que não pensa duas vezes e corre para salvá-la. Ela não entende de onde ele surgiu, mas percebe que a vida lhe deu uma segunda chance e isso faz toda a diferença. Porque ela jamais será a mesma!

Os reféns do assaltante de banco

O que todos os personagens têm em comum? Mais do que podemos imaginar. O autor nos faz mergulhar na essência de cada um deles conhecendo seus defeitos, qualidades, desafios, anseios, expectativas, traumas, sonhos, realizações, e ao final amarra todas as histórias trazendo uma mensagem profunda e importante.

Uma delas é sobre não termos ideia do quanto influenciamos as pessoas que nos cercam. Muitas vezes não é preciso viver 5, 10 anos com alguém para que suas vidas sejam transformadas por nós. Um conselho, uma palavra amiga, ou mesmo nossa presença é capaz de tocar o outro e transformar sua vida para sempre.

Cada personagem criado pelo autor é um universo único. Cheios de camadas que vão sendo descobertas conforme avançamos na leitura. Senti muita empatia pela Zara. E em alguns momentos me vi nela apesar da idade. Quando vivenciamos certos acontecimentos eles nos marcam de tal forma que o primeiro impulso é nos fechar. Até não sabermos mais voltar ao que éramos antes.

É comum que pessoas que sofreram criem uma barreira e não permitam que ninguém se aproxime. Durante um tempo me senti exatamente assim. É mais fácil lidar com certas situações quando você se afasta. Quando fica claro que aquilo não pode te machucar. O refúgio de Zara é ouvir música alta, isso limpa sua mente. As vezes é só disso que precisamos… limpar a mente.

Onde está o assaltante de banco?

Vocês devem estar se perguntando… e o assaltante de banco? Essa é uma outra camada da história. Muito mais profunda e que merece ser acompanhada de perto. Temo contar qualquer detalhe e ser um spoiler. Então os deixarei curiosos quanto a isso.

Gente Ansiosa é uma história emocionante. Que fala sobre os mais diversos relacionamentos, como eles nos tornam pessoas melhores, nos faz crescer, e o cuidado que devemos ter com nossas ações que podem afetar diretamente aqueles que estão à nossa volta.

Levei o dia inteiro para escrever e ainda penso que não escrevi o suficiente sobre tudo o que senti. Se eu fosse destacar apenas uma lição seria o conselho da mãe do Jack. Mesmo que soubéssemos que o mundo acabaria amanhã, ainda assim valeria a pena fazer boas ações. E isso me fez lembrar do Budismo e a importância de deixar um legado para aqueles que ficam. Sobre deixar o mundo melhor do que quando chegamos.

O que fazemos diariamente é o suficiente? Ajudamos o próximo? Tratamos com empatia? O que podemos fazer para deixar nossa marca no mundo? Um livro engraçado, comovente e cheio de reflexões. Que segue em nossas mentes por vários dias.

Quanto ao final é surpreendente e inesperado. Já prepara alguns lencinhos porque você vai precisar! Preparados para conhecer o sapo, o macaco e o alce? Embarque na leitura de Gente Ansiosa 🙂

Outras obras do autor

Agora me diz já conhecia Gente Ansiosa? E a escrita do autor? Tem curiosidade em ler algum de seus livros? Lembrando que no Brasil já foram publicados Um homem chamado Ove (adaptação disponível no Tele Cine), Minha avó pede desculpas, Britt-Marie esteve aqui e o mais recente Gente Ansiosa (em breve adaptado pelo Netflix). Beartown não foi lançado no Brasil ainda, mas a série foi adaptada pela HBO. É curtinha tem apenas 5 episódios. Se tiver oportunidade assista! Encontre Gente Ansiosa na Amazon!

Até o próximo post, Érika ♡

Nos acompanhe nas redes sociais
Facebook ♡ Instagram ♡ Twitter ♡ PinterestTikTok

Post escrito por Erika Monteiro

Descobri desde cedo quão incrível é o universo dos filmes, séries, livros e todo esse mundinho geek. Criei esse espaço para compartilhar experiências e trocar ideias.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Gisele

    19 de janeiro de 2022

    Olá tudo bem ?
    O que me chama bastante atenção é a escrita do autor, eu não conhecia nenhuma das obras e achei bem legal. Anotei a dica para uma leitura futura, pois como não é o meu estilo, creio que dificilmente encontraria ou conhecia o trabalho dele.
    Não sabia também sobre as adaptações, uma pena a HBO não ter trazido ao Brasil.
    Beijos

  2. Alice Martins

    18 de janeiro de 2022

    Olá, tudo bem?

    Esse é um livro que sempre vejo muitas pessoas elogiando, mas que pensava que possuía um enredo totalmente diferente. Hoje comecei a ver o primeiro episódio da série, mas não me prendeu tanto assim, mas ao ler sua resenha, vou dar uma chance pra série, porque creio que eu possa gostar bastante. Arrasou na resenha!

    Beijos!

  3. Val

    16 de janeiro de 2022

    Oye, Erika..Nossa, que leitura envolvente. Acho que iría gostar desse livro..não conhecia nenhum.deles, mas fiquei bem.curiosa.. gosto quando as tramas.tem personagens entremeados e que partilham uma.situacao tensa em comum.
    Vou atrás das adaptações dos outros títulos tbm.
    Tschuss

  4. Leticia Rodrigues

    16 de janeiro de 2022

    eu comecei a ler esse livro e confesso que fiquei bem confusa kkk. eu to lendo ainda meio devagar mas amando kkk.

  5. Carol Nery

    16 de janeiro de 2022

    Oi Erika, beleza? Sempre que vc fala a respeito de ter se mudado muito, conhecer muitos lugares e culturas… Eu me identifico muito. Eu sinto como se eu não tivesse um lugar certo no mundo. Sempre estou em algum lugar, perdida… Me sentido solta no espaço. Enfim!
    Já ouvi falar dos livros publicados aqui no BR. Mas nunca li nenhum. Essa sua resenha é uma obra prima. Vc simplesmente me fez querer ler esse livro e desbravar essas camadas. Detalhe: se o livro faz chorar eu sempre corro léguas. Não gosto.
    Porém, já tô incluindo na TBR. Fantástico tudo que descreveu aqui. Amei. Grande abraço.

  6. Hanna Carolina

    16 de janeiro de 2022

    Oi Érika, eu acompanhei o hype que rolou com esse livro, até com relação à adaptação na Netflix. Mas acabei não conferindo a obra. Eu gostei da sua resenha, ficou grande, mas super completa e de para ter uma boa ideia de como é a trama. E pelo que vi, os personagens são gente como a gente, né? Apesar de serem mais velhos que nós, acabamos nos identificamos de alguma maneira, e até facilita a questão da empatia mesmo. E isso nos leva mesmo a refletir, sobre o que queremos deixar para o mundo Será que somos boas pessoas? Será que somos empáticos no real, ou apenas em pensamento? Gostei bastante das suas reflexões.
    Bjks!

  7. Debora Sapphire

    15 de janeiro de 2022

    Olá, Érika. Tudo bem? Muito bom saber que mesmo sendo um livro um tanto intenso, você conseguiu ler em poucos dias. Ótimo que tenha uma linguagem tão envolvente que fica impossível de largar. Gostei de saber que conta com um final surpreendente e inesperado. Esse livro ainda é novidade pra mim. Vou procurar essas outras obras do autor, citadas aqui também.

  8. CRIS

    15 de janeiro de 2022

    Oi Érika!
    Menina fiquei aqui curiosa só de ler sua resenha, me parece aquele livro que prende e não queremos largar até acabar, quero saber aonde foi parar o assaltante e como ele sumiu, eu acho que o livro tem muito mais a mostrar pois lendo sua resenha como pode nos tocar profundamente. Obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

  9. cila

    15 de janeiro de 2022

    Oi Erika, tudo bem?
    Eu que estou ansiosa para conhecer as obras desse autor, ele já está na minha lista. E também não vejo a hora de ver a adaptação na Netflix. Até agora pelo o que eu vi, todos estão compartilhando as suas impressões, de como a história nos emociona. Acho importante termos essa visão de que nossas ações podem impactar positivamente ou negativamente a vida de outras pessoas. Sua resenha ficou ótima!
    beijinhos.
    cila.

  10. Maria Luíza Lelis

    14 de janeiro de 2022

    Oi, tudo bem?
    Eu estou muito curiosa para ler esse livro, pois vi diversos elogios no ano passado. Amei ver o quanto a leitura te emocionou e trouxe reflexões. Não conhecia outros trabalhos do autor, mas vou adicionar na minha lista para ler depois desse. Sua resenha me deixou muito otimista de que irei amar a escrita dele. Adorei conferir suas impressões sobre a leitura e espero ler em breve.
    Beijos

  11. Pollyanna Campos

    14 de janeiro de 2022

    Olá, tudo bom?
    Já tinha visto essa capa diversas vezes e confesso que nunca imaginei que este seria o enredo desse livro. Resultado? Acabou de entrar para minha lista de futuras leituras. Adorei essa construção de cada um dos personagens, da forma como cada um carrega suas questões e já estou louca para saber qual é a história e qual foi o destino do assaltante. Espero poder conferir as respostas em breve ♥
    Amei sua resenha!
    Beijos!

  12. Luma Vieira

    12 de janeiro de 2022

    Muito importante esta abordagem que você fez ainda mais neste periodo em que ansiedade tem feito parte do convivio de tanta gente. Esta é a primeira vez que leio resenha relacionada ao assunto desta forma.

  13. Yvens Castro

    11 de janeiro de 2022

    Olá, Erika! Tudo bem?

    Esse livro tem feito bastante sucesso, li diversas resenhas sobre “Gente ansiosa”, além disso uma colaboradora da Saga leu e adorou. Eu concordo contigo, é difícil falar de forma objetiva/sucinta sobre um livro quando gostamos muitos. Parabéns pela resenha, ficou super caprichada e adorei a foto!

  14. Minda

    11 de janeiro de 2022

    Já faz parte da minha lista, gosto muito dessa temática, amei a indicação!

  15. Izabela

    10 de janeiro de 2022

    Realmente faz todo sentido você ter lido Gente Ansiosa em 3/4 dias, pois só pela sinopse já fique morrendo de vontade de ler o livro. Como sempre as suas resenhas são ricas em detalhes e muito bem escritas 👏

  16. Patrícia Camargo da Silva

    10 de janeiro de 2022

    Muito bacana essa abordagem, bastante interessante a história! Adorei a indicação 🙂

  17. Joana D’arc

    9 de janeiro de 2022

    Oi! Eu adorei a resenha 🙂 a historia é bem interessante,gosto muito desta tematica. Ja quero ler…

  18. Delmara Silva

    8 de janeiro de 2022

    Olá,
    te entendo perfeitamente, é tão difícil dizer tudo de forma sucinta quando o assunto é uma história que amamos, né? Eu vi que esse livro seria lançado e acabei não dando atenção, acredita? Mas ultimamente tenho visto tantas críticas positivas que aguçaram minha curiosidade, vi que entrou em várias listas de melhores leituras de 2021, e agora sua resenha cheia de informações cativantes. A esta altura do campeonato eu meio que já decidi fazer esta leitura este ano. Vou esperar uma promo legal pra comprar meu exemplar.

    Abraços!

  19. Lucimar da Silva Moreira

    8 de janeiro de 2022

    É um livro que deixa o leitor bastante curioso, é bom quando o livro fala de diversos relacionamentos como você mencionou, livros assim acaba sendo um aprendizado para o leitor, gostei muito de conhecer o livro bjs.

  20. Quelzy Costa

    8 de janeiro de 2022

    Gente como assim o assaltante nao sabia o próximo plano???kkklkk Já quero saber Onde está o assaltante Gente Que história legal. Só lendo a resenha já fiquei com vontade de ler ele todo ♡

  21. Chovendo Risos

    6 de janeiro de 2022

    Olá, tudo bem?

    Vou deixar essa pagina nos favoritos, para n perder o link
    Olha eu sempre tenho empatia pelas pessoas, muitas vezes a gente acha que tem um problema grande e vem uma pessoa e conta a sua historia e a gente percebe que o nosso problema é um nada pq se torna pequeno

    É Algo dentro de mim pq eu sempre penso e se fosse eu? Ontem tava falando com um conhecido sobre um problema de um amigo, e a pessoa respondeu “frescura”

    As pessoas pedem empatia, e não tem empatia. Acho que nunca vai acontecer com elas

  22. Miriam Tonon

    4 de janeiro de 2022

    Estou ansiosa para ler o livro, a minha filha já tinha falado que iria comprar ele, então vou aproveitar e ler também! Acho que vou assistir a minissérie só depois de ler o livro, gosto de fazer comparações. Beijos

  23. Lucimar da Silva Moreira

    4 de janeiro de 2022

    Uma boa indicação de livro, um livro que precisa ser lido, o livro tem uma história envolvente, gosto bastante de livros que trazem reflexões, bjs.

  24. Open Kloset By Karina

    4 de janeiro de 2022

    Olá Erika, tudo bem?
    Fiquei muito curiosa sobre o livro 🙂 Muito obrigada pela indicação!
    Bjs Karina

  25. Minda

    25 de dezembro de 2021

    Tenho de dizer que fiquei curiosa sobre o livro, gosto dessa temática, amei a sugestão, já vai pra minha lista de 2022!

  26. Thamires

    23 de dezembro de 2021

    Oi Erika, confesso que estou bem curiosa para fazer a leitura dessa obra, gostei muito de saber que além de ser uma historia emocionante irá abordar diversos tipos de relacionamento, espero fazer a leitura em breve. Amei conferir a resenha! Bjs

  27. Joana Darc

    22 de dezembro de 2021

    Oi! Eu adorei a sugestão de leitura 📚 é bem interessante,ainda não li nada do autor…

  28. Lucimar da Silva Moreira

    22 de dezembro de 2021

    Realmente é um livro emocionante, achei que os personagens foram bastante trabalhados, o autor soube abordar os dramas bastante reais, ainda não conhecia Gente Ansiosa, legal que em breve vai ser adaptado pelo Netflix bjs.