E essa tal de ANSIEDADE?

Oi gente, tudo bem? Fazia um tempo que a Helena não aparecia por aqui não é mesmo? Hoje ela vem conversar com vocês sobre Ansiedade. Quem vive o presente sempre se preocupando com o futuro ou com o passado, ou mesmo querendo ter feito tudo diferente? Vem compartilhar com a gente sua experiência sobre esse assunto.

Segundo um conhecido dicionário da internet a ansiedade é caracterizada pelo medo ou apreensão por alguma situação desagradável ou perigosa.

Ansiedade

Mas eu vejo a ansiedade como algo tão presente na minha vida que já denomino de forma diferente: pra mim ansiedade é aquele sentimento que eu venho lutando há 25 anos e que tenta diariamente me paralisar gerando medo e sofrimento antes mesmo de uma possível situação pensar em se concretizar.

O Brasil é um dos países onde o índice de casos de pessoas que sofrem de transtorno de ansiedade é altíssimo e eu acho que tudo isso é consequência da sociedade em que vivemos.

Corrupção, falta de segurança pública, sistema de educação e saúde deixado de lado… tudo isso nos gera um medo e preocupação com o amanhã. Com o que vem pela frente, sabe?

E além de todos os problemas do nosso país, ainda precisamos lidar com nós mesmos. E como é difícil se olhar no espelho e enxergar as coisas boas que temos. Acabamos sempre enxergando aquilo que menos nos agrada, que mais nos deixa chateados. Ficamos procurando problemas, defeitos e colocando isso tão à frente de tudo que quando vemos já estamos ansiosos e abalados emocionalmente.

Mas vamos lá. Vamos falar de um dos problemas relacionados a ansiedade menos falado! Vamos falar sobre a ansiedade social, ou como é mais conhecido, fobia social. Não sou nenhuma especialista no assunto, mas por viver diariamente lutando contra, acho que posso falar um pouquinho!

Tecnicamente, segundo o site Oficina de Psicologia, ansiedade social é refere-se ao nervosismo ou desconforto em situações sociais, habitualmente devido ao medo que a pessoa tem de poder fazer alguma coisa que possa ser embaraçoso ou ridículo, ou na qual possa causar má impressão, ou que possa ser julgada, criticada ou avaliada negativamente por outras pessoas.

Agora, na vida real, ansiedade social é uma MERDA! Desculpa o palavrão. Mas só quem vive isso sabe o quando esse medo de interagir com as pessoas pode ser atormentador. O quanto ele nos paralisa quando mais queremos seguir em frente.

Cansei de dizer “não” para convites por medo de não ter assunto. Cansei de ficar quieta em reuniões entre amigos por medo de ser julgada pela minha opinião.

Sem contar quando se entra num lugar e parece que todos estão te olhando e te criticando pela tua roupa ou pelo jeito que tu arrumou teu cabelo.

O que eu quero dizer pra vocês que passam por isso é: vocês podem viver em paz mesmo vivendo diariamente com esses medos. Dói, é complicado. Às vezes dá vontade de desistir mas acreditem, se vocês querem, vocês vão conseguir viver bem!

Eu queria ser otimista a ponto de dizer pra vocês que é de uma hora pra outra! Não é. É uma luta, constante, diária. Um dia de cada vez. Mas acreditar que se é capaz já é meio caminho andado. E às vezes ter um acompanhamento de algum profissional ajuda muito, viu?

Eu por exemplo faço terapia há 6 anos e não vivo sem. Porque muitas vezes só a nossa força de vontade não é suficiente. O incentivo de pessoas que te conhecem, que te amam e que te querem bem faz toda a diferença!

Bom, contei um pouquinho da minha história. E confesso que estar aqui escrevendo pra vocês é uma superação e tanto dessa tal fobia social. Me expor sem medo dos julgamentos é um dos degraus que eu tento subir todos os dias.

Viram como a gente pode? Como a gente consegue?!

Se eu pudesse dar um conselho pra vocês hoje é: ACREDITEM! CONFIEM! SIGAM LUTANDO!

Nem sempre é fácil, mas lá no fundinho sabemos (ou devíamos saber!) que somos capazes! 

Leia também: Você se aceita de verdade?

Sigam a Helena no instagram 😉 @helenanoliveira

Até o próximo post! Érika 

Acompanhe também nas redes sociais:
Facebook  Instagram  Twitter  Pinterest  G+

Você pode gostar ♥
Loading Facebook Comments ...

8 Comments

  1. Luly Lage 07/06/2018 at 23:23

    É tão difícil falar pra alguém que tem ansiedade, né? Porque justamente quando você tem você sabe que qualquer coisa pode te deixar ansiosa, e às vezes a coisa que acalma a sua vai piorar a do outro e a coisa vira um grande AAAAAAAAAH (ou, como foi dito no post: uma merda)!
    E tem essas “ramificações” do transtorno… Uns sofre, de fobia social, outros têm ataque de pânico, transtorno alimentar, depressão que desencadeia disso… Socorro! Mas o mais importante dessa história: ESTAMOS FALANDO SOBRE ISSO! Cada vez mais as pessoas veem a ansiedade (e outros transtornos mentais) como algo a ser tratado, e não a ser temido. É ótimo poder ler textos na internet, textos pessoais assim também, sobre um tabu tão grande. Porque é só quebrando o tabu da ansiedade que ela vai ser quebrada também…

  2. Luana Souza 07/06/2018 at 23:13

    Oi, Érika!
    Eu mal posso descrever o quanto amei seu post. É tão importante falar sobre isso para que mais pessoas entendam que não é uma frescura, e que ter ansiedade é diferente de estar ansioso. Quando fui ao psiquiatra pela primeira vez, ele me disse que todo mundo tem um grau de ansiedade, e que isso é necessário para que a pessoa consiga viver, ter senso de alerta e tudo mais. Mas ele também me fez ver que o meu nível de ansiedade estava tão alto que estava prejudicando a minha vida, e é aí que a linha entre ter ansiedade e star ansioso é ultrapassada.
    Desde muito nova eu era extremamente nervosa, comia as unhas, ficava tremendo. Hoje, eu acho que isso se associa muito a eu raramente me sentir que havia achado um lugar pra mim no mundo. Depois de sessões de terapia, de ter começado a fazer algo que eu gosto, de ter conhecido pessoas realmente maravilhosas, e de ter mudado meus pensamentos para melhor, eu me sinto bem. Não vou dizer que plenamente bem, pois é difícil se livrar de sintomas que teimam em aparecer. Mas eu sigo tentando, e é bom encontrar pessoas como você, que passa pela mesmo, e resistem todos os dias 🙂
    Beijos, amora!

  3. Vickawaii 07/06/2018 at 23:00

    Poxa Érika, fiquei triste por você 🙁 Ansiedade e depressão são os grandes males da nossa geração, eu fiquei bem chocada quando descobri que de um grupinho de três amigos – todos “aparentemente’ -muito felizes e de bem com a vida -, três tem problemas desse tipo. Eu não tenho nada diagnosticado (nem tenho nada na real rs), mas há uns dois meses teve um acontecimento que me deixou MUITO nervosa e eu fiquei realmente mal por uma semana, imagino o que é viver com aqueles sentimentos constantemente. Mas é uma luta diária. O importante é continuar!

  4. Renata 06/06/2018 at 23:28

    Oi Helena, oi Érika!
    Eu amei esse post, de verdade. Parece que estava na hora de eu ler, porque, recentemente, eu “reconheci” que faço parte da estatística que sofre com a ansiedade. Uma das minhas desculpas era, eu sou tímida, a outra, a médica não precisava receitar isso só porque ela acha que eu sou ansiosa… rsrsrs… Okey, vida que segue, né?
    Eu nunca tive crises que me paralisassem, mas já me privei de muitas coisas por pensar, as pessoas não gostam de mim, estão todos olhando e julgando… etc etc… E ainda tem a parte que eu faço planos e, passa uma hora, estou colocando mil problemas que podem ou não vir a ocorrer e acaba que não termino vários projetos. Ver tudo isso já me ajudou muito e espero continuar progredindo porque, como a Helena bem colocou, é uma luta diária, de escolhas e inspirações que vão nos levar adiante e não fazer com que fiquemos estáticas!
    Ótimo post! <3
    xoxo

  5. Rebeca 05/06/2018 at 23:29

    Oii Erika!! Eu AMEI o teu post. Acho tão lindo quando a gente coloca a saúde mental em pauta!!! É super importante e se não discutirmos, se eu não ouvir a sua história e compartilhar a minha, vai continuar sendo essa coisa pesada e vamos continuar nos sentindo incompreendidas. Ansiedade social é uma merda mesmo, e o palavrão foi bem colocado. Dizer não pra sair, não se sentir a vontade quando você finalmente diz sim, chegar no lugar e querer ir embora correndo quase sem ar.. SOCORRO hahaha Obrigada pelo post!!!

  6. Livia 05/06/2018 at 18:58

    Também convivo com essa porcaria de ansiedade e a terapia me ajudou bastante. Hoje consigo lidar melhor com as crises. Porém ela me atrapalha em provas práticas, por exemplo. Tenho a forma da síndrome do pânico. Ela não tem hora para vir e é uma sensação de morte horrível, qualquee coisa idiota pode desencadear… Credo. Boa sorte ao lidar com ela!

  7. Bia 27/05/2018 at 13:23

    Muito importante falar sobre isso! Eu também sofro de ansiedade e isso faz com que eu chegue num nível de estresse absurdo! Fico imaginando mil possibilidades, pensando no plano A, B, C… Z se algo der errado, planejando todos os possíveis futuros para eu tomar uma decisão, é muito difícil! 🙁
    Também estou evitando ir em eventos públicos pelo simples fato que não suportar ter que lidar com pessoas ou situações, é muito bizarro.
    O lado “bom” é saber que não estamos só 🙂
    Beijos!

  8. Vitória Bruscato 26/05/2018 at 23:49

    Eu não tenho nem o que dizer 🙁 Não faço ideia de como é se sentir assim, mas deve ser difícil, né? Acho esse texto bacana para mostrar a quem passa por isso que essas pessoas não são as únicas que se sentem assim.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.