Garota 11
19 de novembro de 2021

Oi gente, tudo bem? O que vocês têm feito? Já preparando a lista de filmes de Natal? Chegou por aqui uma caixinha da Companhia das Letras com alguns livros entre eles Garota 11 um triller de Amy Suiter Clarke, publicado pela Suma.

Se você se envolveu até a última página em livros como Os homens que não amavam as mulheres, Areia movediça, Boneco de neve, As sombras de outubro, então Garota 11 é pra você!

Garota 11 um thriller de tirar o fôlego

Garota 11 é um thriller que traz um universo diferente: o podcast. Faz pouco tempo que comecei a ouvir, confesso que ainda não conheço nenhum de true crime então ler esse livro foi uma experiência incrível. Elle Castillo está à frente do “Justiça Tardia”, um podcast que fala sobre crimes sem solução (me fez lembrar bastante Cold Case uma das melhores séries sobre o tema que já assisti).

É por meio do seu programa que conhecemos o ACR (assassino da contagem regressiva) um serial killer dos anos 90. Elle é investigadora independente e com a ajuda dos ouvintes tenta encontrar novas pistas que possam ajudar a polícia a prender os culpados e assim fazer justiça às vítimas.

Só que na quinta temporada do programa uma garota de 11 anos é sequestrada! Tudo indica que o ACR seja o responsável, porém a polícia não acredita em Elle. Alguns dias depois, Natalie de 10 anos, filha de sua melhor amiga também é sequestrada!

Agora Elle precisa correr contra o tempo para descobrir quem está com as garotas. Detalhe: nos casos antigos ele sempre mata as vítimas no sétimo dia. Um thriller que te prende da primeira à última página. Com um final surpreendente e reflexões incríveis! Vamos conhecer Minnesota?

Primeiras impressões

Quando li a sinopse confesso que me chamou atenção a questão do podcast, afinal, nunca tinha lido nada que envolvesse esse formato. Já vimos obras baseadas em livro, séries adaptadas, filmes baseados em fatos reais, mas nunca uma história envolvendo um podcast de true crime.

Por falar em true crime também ainda não tive experiência com obras direcionadas para o tema. Então essa leitura foi algo inovador. Garota, 11 foi o primeiro livro ambientado em Minnesota que li. O que considerei uma nova experiência já que de acordo com o mapa o estado de Minnesota fica próximo ao Canadá, o que é sinônimo de frio.

A autora inicia o livro com Elle Castillo apresentando seu podcast. O programa Justiça Tardia tem como objetivo trazer à luz casos que foram arquivados ao longo dos anos sem solução. Com a ajuda de sua produtora Tina (uma experiente hacker) e dos ouvintes ela vai descobrir pistas e segredos guardados a muitos anos.

Na quinta temporada de seu programa os casos analisados são do serial killer ACR (assassino da contagem regressiva). Ele matou diversas mulheres nos anos 90 mas ninguém nunca conseguiu descobrir sua identidade. Agora, 20 anos depois, contando com o conhecimento do detetive aposentado Sykes, da ciência forense, novas informações vêm à tona e Elle sente que está mais perto de descobrir quem é ele.

Leo Toca e a identidade do ACR

Uma fagulha de esperança surge quando Leo, ouvinte do programa, telefona para Elle dizendo ter provas de quem é o ACR. No entanto, quando chega ela chega ao apartamento de Leo ele está morto! No local do crime está Duane sócio de Leo num desmanche de carro. Antes que Elle faça qualquer coisa ele sai correndo do apartamento.

Durante as investigações Amanda Jordan, uma menina de 11 anos, é sequestrada. Os pais que são fãs do podcast pedem à detetive Ayaan que Elle integre a equipe de investigação. Quando ela expõe sua teoria Ayaan não concorda e sugere que Elle está se precipitando.

Alguns dias depois Natalie, de 10 anos, filha de sua melhor amiga também é sequestrada. Elle fica sem chão e não sabe o que fazer. Ela tem certeza que o responsável pelos crimes é o ACR, no entanto, devido ao conflito de interesses Ayaan acha melhor que ela se afaste das investigações.

Você ficaria sentada em casa esperando notícias da polícia? Pois é, Elle também não! Ela inicia uma investigação por conta própria e começa a desvendar uma teia de segredos e informações que jamais imaginou. Será que alguma dessas pistas levará ao sequestrador das crianças? Será que o ACR ainda está vivo? Ou será um imitador?

Os questionamentos de Garota 11

Apesar de o livro ter 300 páginas durante a leitura senti como se tivesse umas 500. Talvez pela autora intercalar a história com episódios do podcast a leitura tenha sido um tanto diferente dos livros tradicionais. Mas essa característica teve um ponto positivo.

O livro tem capítulos curtos o que me lembrou As sombras de outubro, também da Suma. A autora intercala passado x presente e vem contando o que aconteceu com cada vítima do ACR desde os anos 90. Dessa maneira vamos criando uma ideia de como ele é.

Alguns profissionais são convidados do programa e expõem sua opinião além de traçar um perfil que torne mais fácil sua identificação. Assim descobrimos que ele tem entre 45 e 55 anos, é branco, tem formação superior e é muito meticuloso. Esses detalhes são um avanço para a investigação.

No entanto, algo que me chamou atenção no episódio que teve a participação de uma psicóloga foi seu questionamento. Será que usamos certos traumas que sofremos quando crianças para justificar o adulto que nos tornamos? Até que ponto podemos considerar alguém vítima das circunstâncias ou desvio de caráter? Esse questionamento divide opniões.

Outro ponto interessante acerca da trama é com relação aos holofotes direcionados ao serial killer. Muitas vezes a mídia foca neles e deixa as vítimas de lado. Essa é uma das mensagens trazidas pela autora que me chamou atenção. Nunca acompanhei de perto o sensacionalismo da mídia sobre certos casos mas creio que Amy esteja certa.

O que achei de Garota 11?

Bom, como comentei no instagram e em outras redes fui surpreendida pela escrita da autora. Apesar de o formato ser diferente, por descrever episódios do podcast, depois da página 150 não consegui mais largar o livro e finalizei num dia. Não queria parar de ler até saber o desfecho. E posso dizer que foi de tirar o fôlego.

Além disso, também gostei de conhecer Minnesota. Essa é a primeira história ambientada naquele estado que tenho conhecimento. Lembro de já ter lido muitos livros em New York, São Francisco, Sacramento, Texas, Carolina do Norte/Sul, Boston, Califórnia, Portland, Washington, Filadélfia, Massachusetts, mas esse estado era novidade. Saber que está próximo ao Canadá e muito frio trouxe uma perspectiva diferente em relação aos acontecimentos.

Será que indico a leitura? Com certeza! Um dos personagens que mais gostei foi a Tina, talvez porque amo esse universo de hackers e o quanto essas pessoas são inteligentes. Mas pessoas que usam essas informações para o bem é claro. Também gostei da Natalie, é uma garotinha muito esperta.

Então, essa foi a minha experiência lendo Garota 11. Uma leitura que devorei em poucos dias. Agora me conta, já conhecia a autora? Tem curiosidade em ler esse livro? Disponível na Amazon! Antes de ir deixe um comentário 🙂

Leia também: Malibu Renasce, Taylor Jenkins

Até o próximo post, Érika ♡

Nos acompanhe nas redes sociais
Facebook ♡ Instagram ♡ Twitter ♡ PinterestTikTok

Post escrito por Erika Monteiro

Descobri desde cedo quão incrível é o universo dos filmes, séries, livros e todo esse mundinho geek. Criei esse espaço para compartilhar experiências e trocar ideias.

Deixe sua opinião

Seu email não será publicado.



*

  1. Yvens Castro

    8 de janeiro de 2022

    Olá! Tudo bem, Erika?
    Eu já conhecia essa obra por meio de alguns igs literários e até agora todas as resenhas que eu li foram positivas, incluindo a sua. Eu fico contente que tenha gostado da leitura e devorado o livro rapidamente, isso é muito bom quando acontece conosco, quando somos envolvidos e ficamos imersos na leitura. Parabéns pela resenha! Abraços!

  2. Minda

    7 de janeiro de 2022

    Confesso que sei quase nada sobre podcast, acho que vou gostar de ler esse livro, já anotei aqui o nome!

  3. cila

    7 de janeiro de 2022

    Oi Erika, tudo bem?
    Achei o máximo o livro abordar esse universo do podcast, super atual. Também nunca li nada sobre isso, só ouvi alguns de entrevistas que não tinham relação com a literatura e gostei. Fiquei de coração apertado pois várias crianças estavam sumindo. Agora estou curiosa para desvendar esse mistério. Dica anotada!
    beijinhos.
    cila.

  4. Andrea

    7 de janeiro de 2022

    Pela resenha o livro é muito interessante, como amei a série do stieg e cold case, já coloquei na minha lista.

  5. Ana Letícia Ribeiro dos Santos

    7 de janeiro de 2022

    Não conhecia a obra, mas sua resenha me deixou muito curiosa! Pelo visto, a Tina é muito inteligente, eu também amo esse tipo de personagem.

  6. Joana D’arc

    6 de janeiro de 2022

    Oi! Que maravilha 😀 eu adorei a sugestão, gostei da tematica é bem interessante…

  7. Mulher Virtuosa By Vany

    5 de janeiro de 2022

    Não conhecia o livro e assim como vc achei super diferente e inovador ter no formato podcast tbm. Brilhante!
    Não conhecia a autora e vi que vc devorou o livro. Com certeza uma leitura fantástica. ótima indicação!

  8. Lucimar da Silva Moreira

    21 de dezembro de 2021

    Achei interessante ler um livro no formato podcast é bastante diferente, mas gostei de conhecer o livro, ainda não conhecia a autora, confesso que fiquei muito curiosa pelo livro, bjs.